top of page
Buscar
  • alex3921

Ele sempre cantou as emoções de outras pessoas, mas a sua verdadeira canção de amor estava guardada


O Amor é Uma Música de 7 Notas é um passeio pelo passado da última geração que cresceu sem internet.

Voltar no tempo é uma ideia fascinante, infelizmente as leis da física não nos permitem vislumbrar a hipótese para além da ficção. As músicas, porém, podem nos aproximar da sensação.

Quando ouvimos uma canção que marcou um momento especial, nossa mente é levada ao passado. Somos capazes de descrever locais, diálogos, pessoas, além de inúmeras emoções que nos rondavam à época.

Cada um de nós, ainda que de forma inconsciente, tem seu próprio repertório associado a um evento ou período: infância, adolescência, viagem, escola, namoro... Existem muitas portas para as emoções passadas à espera de uma chave feita de letra e melodia.

A história se passa no final da década de 80 e início dos anos 90, período em que a juventude valorizava a cumplicidade e a amizade compartilhando momentos felizes em reuniões nas casas dos amigos ou passeando pelos shopping centers, que começavam a se multiplicar e a conquistar a preferência como ponto de encontro para lazer e entretenimento.

Os primeiros computadores pessoais surgiam, mas eram uma realidade para poucos. Não havia acesso à internet, telefones móveis nem smartphones com geolocalizadores.

Sem as redes sociais, ter um milhão de amigos só era possível na música de Roberto Carlos. Relacionamentos reais exigiam mais tempo e dedicação para que os laços de amizade se fortalecessem.

Pedir alguém em namoro era um gesto muito mais ousado do que um simples “toque” no botão do aplicativo instalado no celular.

A timidez era uma barreira a ser vencida, e não era raro encontrar aqueles que cultivavam uma visão inocente sobre o amor.

É nesse cenário que a história acontece, mas devo advertir que o texto explora o romantismo de uma forma intensa, sob o ponto de vista de um adolescente de algumas décadas atrás. Por este motivo, é possível que alguns leitores mais jovens tomem como exagerado o comportamento atribuído ao personagem.

Como sonhador, no entanto, gosto de pensar que, em algum momento, em algum lugar do mundo, existiu um garoto que teve o privilégio de viver um amor semelhante... quem sabe.


9 visualizações1 comentário

1 comentario


Marilice Scobar Grimberg
Marilice Scobar Grimberg
03 nov 2023

Amei a história! Me encantei por Alex e Paul! Mereciam uma continuação mais detalhada de seus embates e conquistas! Parabens!

Me gusta
bottom of page